Amor não se procura: encontra-se

Amor não se procura, encontra-se. A gente não chega no supermercado, surpreende-se com o amor na prateleira e lembra que está sem aquilo em casa. Daí a gente não pega um pacotinho e também não põe no carrinho, nem ao lado da caixa de leite, nem em cima da comida para o cachorro. E daí a gente não passa no caixa e não paga com cartão de crédito. E daí a gente não põe em caixas de papelão (já que não podemos colocar em sacolinhas de plástico) e não leva para a casa, feliz da vida por ter encontrado aquilo que faltava e começava a incomodar.

O amor também não está no cardápio de nenhum bar ou restaurante. Você não pede para o garçom, junto com um chopinho e acompanhado por uma boa porção de bolinho de bacalhau. E você também não tem a oportunidade de pedir uma saideira de amor antes de ir embora, tentando seduzir o garçom tão gente boa, que está acostumado a te tratar tão bem.

O amor também não está  no shopping. Em nenhum shopping, nem de São Paulo, nem do mundo inteiro. Você não dá uma olhadinha sem querer na vitrine e ele está lá, te namorando de volta, esperando apenas você entrar na loja e pedir para a vendedora embrulhá-lo para presente.

O amor pode não estar à disposição, mas ele está por aí e é sua missão encontrá-lo. Ele não está disponível  no supermercado, no barzinho ou no shopping, mas ele pode estar ali disfarçado, escondido, se fazendo de difícil. Ele não estará na prateleira, no cardápio ou na vitrine, se exibindo para todo mundo.

Mas ele pode estar  caminhando lentamente por um corredor gelado, pertinho dos iogurtes. Ou pode estar na mesinha ao lado, olhos atentos, torcendo para você reconhecê-lo logo e parar com essa bobagem de perder tempo sozinho. Ele também pode não estar na vitrine, mas quem disse que ele não está assistindo exatamente ao mesmo filme, no mesmo cinema, bem atrás de você?

Esse tal de amor é complicado de achar. Até quando a gente tem certeza de que encontrou,  ele pode desaparecer de uma hora para a outra, sem explicar por quê. Vai saber. Abra os olhos e preste atenção, porque ele também não carrega nenhuma placa com a expressão ‘sou eu’. Infelizmente. Amor não se procura: encontra-se.

[por Felipe Machado – Palavra de Homem]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s