Quotes

Pequenos fragmentos que dizem muito sobre mim

 “O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais; há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que nem eu mesma compreendo, pois estou longe de ser uma pessoa; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudade sei lá de quê!” [Florbela Espanca]

“Ninguém espera que puxem abruptamente o seu tapete. Acontecimentos capazes de mudar a vida não costumam se fazer anunciar. Embora o instinto e a intuição possam ajudar dando alguns sinais, pouco podem fazer para preparar você para o sentimento de desarraigamento que se segue quando o destino vira seu mundo de pernas para o ar. Raiva, confusão, tristeza e frustração mesclam-se dentro de você num turbilhão. Leva anos para que a poeira emocional assente, enquanto você se empenha ao máximo apenas para conseguir ver através da tempestade”. [Slash]

“Vivi altos e baixos extremos e enfrentei todos até o fim. Mas quando estão tão próximos que parecem se entrelaçar, se tornam algo alienante. É algo mais também; de repente, o que antes fora familiar fica estranho e nada se mantém estável”. [Slash]

“For heaven’s sake, Lizzie, don’t look at me like that. (…) Oh, hush. Not all of us can afford to be romantic. (…) I’m 27 years old. I’ve no money and no prospects. I’m already a burden to my parents. And I’m frightened. So don’t judge me, Lizzie. Don’t you dare judge me.” [Charlotte, de “Orgulho e Preconceito”, de Jane Austen]

“(…) Cresci e amadureci muito, porque fui obrigada a lidar com o mundo do lado de fora. Havia muito mais do que eu já tinha visto e eu fazia parte daquilo. (…)” [Halime Musser]

“All we need is just a little patience…
Little patience, yeah, yeah…
Need a little patience, yeah…
Just a little patience, yeah…”
[Guns n’ Roses]

“Eu não vou me desculpar pelo que sou.
Eu não vou me desculpar pelo que necessito.
Eu não vou me desculpar pelo que quero”.
[Frank Mackey (Tom Cruise), em “Magnólia”]

“Arrependa-se do que quiser.
Aproveite, use o arrependimento.
Pode se arrepender.
Oh Deus!
É uma longa jornada sem nenhuma glória.
Uma pequena história com moral.
Amor, amor…
Essa maldita vida.
É tão difícil.
Ah Deus!
A vida não é curta, é longa.
O que eu fiz?
O que eu fiz?
O que eu fiz?
O que eu fiz?
[trecho de “Magnólia” – ? para Phil]

 “Por favor, não me analise
Não fique procurando cada ponto fraco meu.
Se ninguém resiste a uma análise profunda,
Quanto mais eu…
Ciumento, exigente, inseguro, carente
Todo cheio de marcas que a vida deixou
Vejo em cada grito de exigência
Um pedido de carência, um pedido de amor.
Amor é síntese
É uma integração de dados
Não há que tirar nem pôr
Não me corte em fatias
Ninguém consegue abraçar um pedaço
Me envolva todo em seus braços
E eu serei o perfeito amor.”
[Mário Quintana]

“Você não pode ficar à espera de que o destino lhe dê o que acha que merece; tem de conquistar isso, mesmo que pense que pagou suas dívidas. Você pode ter alcançado o que queria, mas tem certeza de que aprendeu a lição?” [Slash]

“(…) Working hard eight days a week.
Most days we got no time to speak.
I feel like I’m chasing after my own life (…)”
[Bon Jovi]

 A maior tortura
Na vida, para mim, não há deleite.
Ando a chorar convulsa noite,
E não tenho nem sombra em que me acoite,
E não tenho uma pedra em que me deite!
Ah! Toda eu sou sombras, sou espaços!
Perco-me em mim na dor de ter vivido!
E não tenho a doçura duns abraços
Que me façam sorrir de ter nascido! Sou como tu um cardo desprezado
A urze que se pisa sob os pés,
Sou como tu um riso desgraçado!Mas a minha Tortura inda é maior:
Não ser poeta assim como tu és
Para concretizar a minha Dor!”
[Florbela Espanca]

“(…) Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando porrada, porrada?
Até quando você vai ser saco de pancada? (…)”
[Gabriel, O Pensador]

 “Retrato
Eu não tinha este rosto de hoje,
assim calmo, assim triste, assim magro,
nem estes olhos tão vazios, nem o lábio amargo.
Eu não tinha estas mãos sem força,
tão paradas e frias e mortas;
eu não tinha este coração que nem se mostra.
Eu não dei por esta mudança,
tão simples, tão certa, tão fácil:
Em que espelho ficou perdida a minha face?”
[Cecília Meireles]

“As vezes, a verdade está bem diante de seus olhos e faz tão pouco sentido que você simplesmente não enxerga. É como observar seu reflexo no espelho de um parque de diversões – fica difícil acreditar que a figura distorcida a encará-lo é a você. (…) Mas, ao contrário da casa de espelhos, eu não podia escapar; quando me afastei do espelho, o reflexo continuava lá”. [Slash]

“(…) Mas muito pra mim é tão pouco.
E pouco é um pouco demais.
Viver tá me deixando louco.
Não sei mais do que sou capaz.
Gritando pra não ficar rouco.
Em guerra lutando por paz.
Muito pra mim é tão pouco.
E pouco eu não quero mais. (…)”
[Paulinho Moska]

“Os momentos haviam se acumulado desde que aquele sentimento partira e a sensação de vazio instalara no peito. A introversão parecia contagiar os demais e, sorrateiramente, afastava aqueles poucos que ainda lhe eram próximos. Ah, se eles soubessem que aqueles olhos que antes carregavam a sapiência e a curiosidade da juventude somente choravam ao encarar o além e o céu… Ela só precisava de um abraço acalentador, de uma palavra de conforto e um sorriso sincero, para desanuviar os pensamentos e voltar a acreditar em si e nada vida. Os sonhos silenciaram-se. (…) E haverá um dia, desses muitos tíbios, que ela não poderá fugir, porque a dor se dissipará da alma e o corpo, enfim, se encontrará isento de lesões. As arranhaduras e cicatrizes tornarão parte de si e ela sorrirá timidamente por estar forte. Ela se lembrará das preces feitas em tom baixo e agradecerá por existir vida em seus dias, mesmo com toda a sofreguidão e a solidão. Se as perdas dão a impressão de não possuir e não ser nada, não quer dizer que elas são verdadeiras, tendo em mente que a realidade pode ser reinventada a cada novo olhar. Toma Annie, um pouquinho de inspiração para viver!” [Bárbara – Gurias Arretadas]

“Estou cansada, cada vez mais incompreendida e insatisfeita comigo, com a vida e com os outros. Diz-me, porque não nasci igual aos outros, sem dúvidas, sem desejos de impossível? E é isso que me traz sempre desvairada, incompatível com a vida que toda a gente vive…” [Florbela Espanca]

“Saw you sitting all alone
You’re fragile and you’re cold, but that’s all right
Life these days is getting rough
It knocks you down and beats you up
But it’s just a rollercoaster anyway”
[Better that we break – Maroon 5]

“Tenho necessidade de conexão e interação, com as pessoas que gosto, e com aquelas que nem conheço (sou assumidamente uma viciada em redes sociais). Porém, ao mesmo tempo, gosto de estar sozinha, e assim fico por períodos maiores do que deveria. Essa solidão social, na vida “real”, que às vezes é bem-vinda, muitas outras me deprime. | Costumo pensar e analisar (até demais) minhas atitudes, relações, ambições, passado e futuro, negligenciando o presente frequentemente. E essa minha mania de sempre pensar, questionar e criticar tudo ao meu redor, especialmente eu mesma, faz meu pensamento viajar… Deliro. Deliro muito. E a melhor parte do meu ser é este meu Eu Delirante, assim como a pior. | Meu Eu Delirante é aquele divertido, agitado, que cria e inova, que quer mudar o mundo. Meu Eu Delirante é aquele que machuca, que me reduz a um grão de poeira cósmica, que reflete minha insignificância no mundo, que congela e paralisa. É um amigo perigoso, meu querido ‘friendenemy’. | É um ser que não posso aprisionar, pois se o fizer (já fiz) os resultados serão catastróficos (sim, também é um Eu Superlativo). Então o liberto em imagens pretensiosamente artísticas. Tenho necessidade de expressão, e ele é o responsável. Um dia, talvez, quem sabe, esse meu Eu se traduzirá em Arte.” [Andreia, blog de repente 30]

“Você está escrevendo porque o simples fato de escrever te conforta, é como se fosse uma terapia pela tela do computador que você põe pra fora escrevendo o que muitas vezes se fosse falar jamais conseguiria se expressar tão bem como nas palavras escritas. Bom… Pelo menos na parte de terapia é assim que funciona pra mim!” [Julis]

“Sou aquela que passa e ninguém vê. Sou a que chamam triste sem o ser. Sou a que chora sem saber porquê. Sou talvez a visão que alguém sonhou, alguém que veio ao mundo pra me ver e que nunca na vida me encontrou!” [Florbela Espanca – Livro de Mágoas]

“Quando eu olho para trás eu vejo tanto esforço, tanta dedicação, tanto trabalho. Para quê? E a minha vida? A minha vida eu guardei para depois. Mas eu nunca pensei que poderia não haver um depois.” [E Se Fosse Verdade/Just Like Heaven, 2005]

 “Escrevo para fugir da realidade — de real já me basta esta minha vida. Escrevo para transformar a realidade, dobrá-la aos meus desejos e deturpá-la segundo os meus sonhos mais profundos. Escrevo para entender essa realidade que me cerca (…)” [Leticia Wierzchowski]

 “… entrei num ritmo frenético de pensamentos e, de repente, dá uma caída e você entra num lugar estranho dentro de você mesma…”

“Sabia exatamente que tipo de amor queria, um amor que se infiltra nos ossos, se enraíza no coração e floresce no corpo. Queria um amor que durasse para sempre. Queria alguém com quem pudesse viver dia após dia, noite após noite, ano após ano, queria casa, família, brigas, conforto, sexo, tudo. Sempre soube que queria isso do parceiro, o amante, o pai de seus filhos.” [Trecho de Mar de Rosas, de Nora Roberts]

 “Meus pensamentos são estrelas que eu não consigo arrumar em constelações.” [A Culpa é das Estrelas]

 “Eu quero deixar uma marca. Mas (…) as marcas que os seres humanos deixam são, com frequência, cicatrizes.” [A Culpa é das Estrelas]

 “Não dá para escolher se você vai ou não se ferir neste mundo, meu velho, mas é possível escolher quem vai feri-lo.” [A Culpa é das Estrelas]

 “I’m selfish, impatient and a little insecure. I make mistakes, I am out of control and at times hard to handle. But if you can’t handle me at my worst, then you sure as hell don’t deserve me at my best.” [Marilyn Monroe]

 “Escrever é um desabafo? É. É um desabafo de frustrações muito antigas. De sensações de inutilidades fortes que eu tive durante muito tempo na minha vida. Eu achava que a única forma de sobreviver era escrevendo e eu fui tendo de provar isso. Tem a coisa do desabafo, da luta, do cansaço.” [Fernanda Young]

 “Hoje já é quinta-feira / E há pouco eu tinha quase 20 / Tantos planos eu fazia / E eu achava que em 10 anos / Viveria uma vida / E não me faltaria tanto pra ver / Tenho sonhos adolescentes / as as costas doem.” [Sandy – Aquela de 30]

 “A maioria dos homens emprega a primeira metade de sua vida a tornar a segunda metade miserável.” [Jean de la Bruyére]

 

2 comentários sobre “Quotes

  1. Pingback: Quotes about me | Can I be happy now?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s