Sinais

Existe algum sinal, algum sintoma, qualquer coisa que sirva como indicação concreta de que uma pessoa está chegando ou já chegou ao seu limite? Dor no peito? Vontade persistente de chorar? Desejo de não sair da cama ou não ouvir a voz de ninguém? Reação exagerada a uma situação de estresse? Sensação de irritação por tudo e por nada? Dores pelo corpo sem motivo aparente? Insônia ou excesso de sono? Vontade de largar tudo? Como saber se chegamos a esse limite?

Anúncios

O incômodo da incerteza

Se tem uma coisa que me incomoda profundamente é a sensação de incerteza. Incerteza sobre a vida, sobre o trabalho, sobre a família, sobre a saúde, sobre as finanças, sobre o futuro.

Como boa virginiana que sou, gosto das coisas claras, gosto de “cartas na mesa”, com o máximo de detalhes e informações a respeito, o mais organizadas e estáveis possíveis.

Não sou dada a deixar nada por conta do “acaso” – não acho que ele faça um bom trabalho improvisando as situações. Não gosto de dar tiros no escuro, pois sei, por experiência de vida, que a chance de eu acertar ao alvo é mínima – nula, na verdade, já que sou péssima de pontaria. E não gosto de depender do “quem sabe”, do “talvez”, do “pode ser que” e, menos ainda, do tal do futuro. É incerto, é apavorante e pode muito bem simplesmente não acontecer.

Gosto de ter certeza ou, pelo menos, de algo o mais próximo possível disso; gosto de estabilidade, de garantias, de “pé no chão”. Sei muito bem me virar (quase sempre, pelo menos) quando o infame acaso resolve agir e sou obrigada a contornar a situação, mas odeio quando tenho que fazer isso, quando tenho que recomeçar, quando tenho que me virar do avesso para corrigir algo que eu não errei, que eu não mudei, que eu não tive poder para manter como estava. Me angustia a sensação de ter que recomeçar do zero quando eu sei que já estava bem mais avançada e que tinha tudo para me manter indo em frente, mas o acaso, ah, o acaso resolveu mudar as regras do jogo e me derrubou no meio do caminho.

Tenho me sentindo muito incomodada com a incerteza sobre a vida, sobre o trabalho, sobre a família, sobre a saúde, sobre as finanças, sobre o futuro.