Ciclos…

A vida é feita de ciclos. Começos, meios e fins. Recomeços, meios e outros fins. Etapas que podem ser curtas, médias ou longas – não importa. O fato é que, uma hora ou outra, esses ciclos se encerraram. Alguns abrem espaço para novos ciclos, novas experiências, novas oportunidades; outros simplesmente findam, simples assim. C’est fini.

Sempre tive grande dificuldade para lidar com essas rupturas, com as mudanças impostas pela vida, com seus altos e baixos e constantes variações de humor. Já enfrentei muitos finais de ciclos, mas, por vezes, eles ocorreram contra a minha vontade, sem que eu tivesse agido para isso; apenas reagi ao que estava acontecendo, em uma tentativa de sobreviver ao caos que alguns desses fins de ciclos provocaram.

Agora, cada vez mais próxima de iniciar um novo ciclo da minha vida – meu trigésimo sexto… – talvez eu esteja me sentindo mais à vontade, mais madura, mais confiante em dar um passo em direção ao término de um ciclo – em especial – que, há dez anos, completados este ano, tem se estendido para além do necessário. Foi uma fase importante, sem dúvida, em que aprendi muita coisa bacana e que, também, me auxiliou em períodos turbulentos, mas que, agora, está na hora de ser concluído e deixado para trás. Não há mais nada a me acrescentar. Então, melhor encerrar por aqui e preservar as boas memórias, certo?

Seneca

Anúncios

Cara a cara

Se eu pudesse realizar um desejo hoje, neste momento, certamente seria ter a chance de bater um papo com Deus, cara a cara; e perguntar tudo o que eu gostaria de entender sobre a minha vida. O porquê de muitas coisas que acontecem ou que não acontecem; o porquê de as coisas serem como são; de eu ser como sou; os motivos de eu me sentir como me sinto; de algumas pessoas serem como são comigo… Seria incrível ter esse contato direto com Ele e entender a minha vida. Talvez Ele pudesse me mostrar algum sentido nisso tudo, porque até agora eu ainda não entendi nada…